CVM lança Campanha de Conscientização contra Golpes Financeiros.

Segundo Pesquisa sobre Fraudes Financeiras realizada pelo Centro de Estudos Comportamentais e Pesquisas (CECOP) da Comissão de Valores Mobiliários (CVM, o público que cai em golpes financeiros é composto, em geral, por homens (91%), com idade entre 30 e 39 anos (36,5%) com renda familiar mensal entre 2 e 5 salários-mínimos (23%) e com pós-graduação (38%).

Os resultados ainda apontam que quem não caiu em golpes possui um portfólio mais refinado e diversificado de investimento e investe mais em ações, fundos de investimento, FII, previdência privada, CDB, LCI/LCA. Em contrapartida, as vítimas investiam mais, proporcionalmente, em poupança, criptomoedas e start-ups. Da mesma forma, muitas pessoas que caíram em golpes não possuíam investimentos financeiros.

Em relação aos meios de divulgação, o relatório mostrou que as fraudes acontecem com mais frequência pelo WhatsApp (27,5%), seguido do “boca-a-boca” pessoalmente (19,7%), além de outras mídias sociais.

Também é importante salientar que, em 2021, foram instaurados 163 processos relativos ao chamado mercado marginal, que engloba, por exemplo, reclamações a respeito de ofertas e atuações irregulares – em sua maioria, sem registros na CVM.

Preocupada com esse cenário, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) lançou a campanha “Se Liga na Cilada” (#seliganacilada).

A iniciativa, que conta com a parceria da B3, busca alertar o público sobre ofertas de investimento que parecem atraentes, mas que na verdade são golpes.

É importante ressaltar que a ANCORD também já vem promovendo, desde maio, a Campanha ”Invista com Segurança”, que procura conscientizar o público quanto à importância de sempre contar com Corretoras e Distribuidoras autorizadas a operar pelos órgãos reguladores e autorreguladores.

Confira abaixo o primeiro tema da série:

“Pirâmides Financeiras”.

 

https://www.youtube.com/watch?v=QCud3Mc4YWI&t=7s

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Ofício Circular da CVM traz interpretação de artigo da Instrução 555.

O Ofício Circular No 1/2021/CVM/SIN tem o objetivo de esclarecer a interpretação a respeito da definição de um ativo como doméstico ou do exterior, em especial para os efeitos dos limites de aplicação e diversificação previstos na Instrução. Confira a íntegra do OC no link abaixo oficio-circular-sin-01_21.pdf

CVM publica orientações relativas a pedidos de registro de ofertas públicas

A Superintendência de Registro de Valores Mobiliários (SRE) da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) publica hoje, 9/10, o Ofício Circular CVM/SRE 05/20. O documento reforça orientações já prestadas ao mercado pela citada área técnica bem como alerta a respeito da forma de atendimento de determinados requisitos previstos na Instrução 400, no âmbito da condução do processo […]