Instituições financeiras deverão elaborar plano de recuperação para cenários de estresse

O Conselho Monetário Nacional (CMM) divulgou, no dia 30 de junho, uma nova norma que estabelece requisitos mínimos na elaboração e execução dos planos de recuperação por instituições financeiras importantes. O objetivo da norma é fazer com que as instituições financeiras se preparem melhor para cenários de estresse.

A resolução faz parte das ações do Banco Central para se adequar aos padrões de supervisão e monitoramento estabelecidos pelo Comitê de Estabilidade Financeira (FSB, na sigla em inglês).

Até o final de 2017, as instituições deverão elaborar planos de recuperação que detalhem suas atividades principais, isto é, as funções que, se descontinuadas, poderiam ameaçar a estabilidade financeira e a economia real ou a viabilidade da própria instituição. O plano também deve contar com a descrição das estratégias possíveis para os processos de recuperação e os mecanismos de governança associados a sua execução.

O objetivo da aprovação da regulamentação é que o processo de preparação para situações de estresse se transforme em uma ferramenta importante no planejamento e gerenciamento das instituições financeiras.

Saiba Mais

>> Leia a notícia na íntegra no site do Banco Central

NOTÍCIAS RELACIONADAS

BM&FBOVESPA divulga balanço das operações de junho

A BM&FBOVESPA divulgou o balanço de operações do mês de junho. No período, o segmento Bovespa movimentou R$ 143,65 bilhões, em comparação com os R$ 139,58 bilhões registrados em maio. Já a média diária foi de R$ 6,52 bilhões, ante R$ 6,64 bilhões. No mês, foram realizados 19.491.168 negócios, ante 19.650.240 no mês anterior. O […]

Cetip anuncia resultados relativos ao 3T16

A Cetip divulgou seus resultados relativos ao terceiro trimestre de 2016. O EBITDA ajustado (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) atingiu R$ 230,3 milhões, 12,8% maior que no terceiro trimestre do ano passado. Nos 9M16, o EBITDA ajustado atingiu R$ 676,6 milhões, 15,5% maior que nos 9M15, com margem de 71,1%. Já o […]