Estoque do Tesouro Direto chega a R$ 31,7 bi em maio

O Tesouro Nacional divulgou que o estoque do Tesouro Direto em maio alcançou o montante de R$ 31,7 bilhões, alta de 3,7% em relação ao mês anterior e de 84,4% sobre maio de 2015.

Os títulos remunerados por índices de preços respondem pelo maior volume no estoque, alcançando 61,6%. Em seguida, aparecem os títulos indexados à taxa Selic, com participação de 20,5% e os títulos prefixados, com 17,9%.

Em relação aos títulos que compõem o estoque por prazo, tem-se que 10,9% dos títulos vencem em até um ano. Mais da metade, 58%, é composta por títulos que vencem entre um e cinco anos. Já os com prazo de cinco a dez anos correspondem a 14,2% do total; e os com vencimento acima disso representam 16,9%.

Em maio, as vendas do Tesouro Direto atingiram R$ 1,4 bilhão e os resgates totalizaram R$ 638,2 milhões – sendo R$ 597,1 milhões relativos às recompras ocorridas no mês e R$ 41,1 milhões relativos aos vencimentos ocorridos em maio.

Os títulos mais demandados pelos investidores foram os indexados ao IPCA (Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais), cuja participação nas vendas atingiu 62,3%. Na sequência, estão os indexados à taxa Selic (Tesouro Selic), a 25,3% e os prefixados (Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais), correspondendo a 12,4%.

Saiba Mais

>> Leia a íntegra da notícia no site do Tesouro Nacional.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Boletim da CVM revela alta no apetite pelo risco

A edição de setembro do Boletim de Risco, produzido pela Assessoria de Análise Econômica e Gestão de Riscos (ASA) da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), sinalizou manutenção tanto da queda no indicador de risco de mercado, como no aumento do apetite pelo risco, tendo por base dados de agosto. “Por conta disso, tal indicador passará […]