ENCCLA publica Plano de Diretrizes de Combate à Corrupção

Como resultado da Ação 01/2018 da Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (ENCCLA), foi lançado o Plano de Diretrizes de Combate à Corrupção, que tem como objetivo nortear a atuação de instituições governamentais e da sociedade civil no enfrentamento da corrupção.

O Plano está baseado em 5 iniciativas:

  • Trabalhos já realizados pela ENCCLA.
  • Iniciativas existentes no Brasil.
  • Planos estrangeiros.
  • Compromissos internacionais assumidos pelo país.
  • Participação da sociedade.

“A elaboração desse plano com o foco no combate a corrupção consagra o esforço da Estratégia em relação à articulação de diversos entes e órgãos da administração pública, da sociedade civil organizada e dos cidadãos, que muito contribuíram com diversas sugestões” – Marcus Vinícius de Carvalho, inspetor e responsável pelo Núcleo de Prevenção à Lavagem de Dinheiro e ao Financiamento do Terrorismo da Superintendência Geral da CVM (PLDFT/SGE).

Para além da atuação direta do Superintendente Geral e do seu responsável no âmbito do GGI da ENCCLA, o Núcleo representa a Autarquia acompanhando as ações que estão em andamento e avaliação prévia de propostas de novas frentes.

Clique aqui para saber mais.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

CVM faz alterações pontuais nas Instruções CVM 510, 542 e 543

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) editou a Instrução CVM 599, que promove alterações pontuais nas Instruções CVM 510, 542 e 543, que tratam, respectivamente, sobre: cadastro de participantes do mercado de valores mobiliários; prestação de serviços de custódia de valores mobiliários; e prestação de serviços de escrituração de valores mobiliários e de emissão de […]

CVM edita regras sobre fundos de Private Equity

No dia 30 de agosto, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) editou a Instrução CVM 578, que substitui as Instruções CVM 209, 391, 406 e 460 e moderniza as regras sobre a constituição, o funcionamento e a administração de Fundos de Investimento em Participações (FIPs). Segundo a CVM, o processo de audiência pública prévio gerou […]

S5: mais instituições financeiras poderão optar por regime prudencial simplificado

A partir de fevereiro de 2018, instituições não bancárias poderão optar pelo Regime Prudencial Simplificado (RPS). A novidade faz parte das ações da Agenda BC+, no pilar “Sistema Financeiro Nacional (SFN) mais eficiente”. Com isto, o escopo de instituições financeiras não bancárias que poderão adotar o RPS será ampliado. Poderão participar, por exemplo, corretoras e […]