Banco Central quer aperfeiçoar monitoramento de operações de crédito

A lista de instituições que prestam ao Banco Central (BC) informações sobre as operações de crédito realizadas aumentará em 2018. O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou uma resolução que determina o envio de dados sobre as operações realizadas via Sistema de Informações de Crédito (SCR) nestes casos:

  • Programas ou fundos públicos administrados por instituições financeiras
  • Dependências ou subsidiárias situadas no exterior de entidades que já são obrigadas a prestar informações
  • Entidades não supervisionadas pelo BC, mas incluídas em conglomerado prudencial financeiro

A novidade também vale para entidades não supervisionadas pelo Banco, desde que o BC faça convênio com o órgão regulador da área.

“Com a mudança, teremos acesso a um volume maior de informações sobre as operações de crédito realizadas no país e, com isso, teremos condições de aperfeiçoar ainda mais o monitoramento desse mercado”, afirmou o chefe do Departamento de Monitoramento do Sistema Financeiro, Gilneu Astolfi Vivan.

As novidades entram em vigor em janeiro de 2018, para que as instituições financeiras possam adaptar seus sistemas às novas exigências. O BC publicará nos próximos meses carta-circular com cronograma que vai detalhar como as mudanças serão implementadas.

Saiba Mais

>> Veja a notícia completa no site do Banco Central

NOTÍCIAS RELACIONADAS

CVM divulga ações planejadas para 2017

O presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Leonardo Pereira, deu uma entrevista ao site Arena do Pavini destacando os planos da autarquia para este ano em termos de regulamentos e julgamentos relevantes (como os da Petrobras, do Grupo X). Entre os grandes temas do ano estará a regulação do consultor de investimentos, que entrou […]

S5: mais instituições financeiras poderão optar por regime prudencial simplificado

A partir de fevereiro de 2018, instituições não bancárias poderão optar pelo Regime Prudencial Simplificado (RPS). A novidade faz parte das ações da Agenda BC+, no pilar “Sistema Financeiro Nacional (SFN) mais eficiente”. Com isto, o escopo de instituições financeiras não bancárias que poderão adotar o RPS será ampliado. Poderão participar, por exemplo, corretoras e […]