ANCORD participa de matéria sobre reforma do Novo Mercado

O jornal Valor Econômico publicou recentemente uma matéria abordando a possibilidade do Novo Mercado acabar com a exigência de reserva de 10% das ações para o varejo nas ofertas de papéis realizadas pelas empresas listadas no segmento – isso passaria a ser opcional. Na contramão das intenções da própria BM&FBOVESPA e do setor de atrair o investidor pessoa física para o mercado de capitais, a mudança consta na proposta de reforma do segmento de mais alto grau de governança corporativa da Bolsa.

Esse foi um dos pontos que receberam críticas e sugestões do mercado durante a recente audiência pública realizada pela BM&FBOVESPA.

A intenção da Bolsa com a medida é se adaptar à instrução da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) que permite oferta de ações apenas para investidores qualificados (com ao menos R$ 1 milhão em aplicações) – as chamadas ofertas com esforço restrito, mais rápidas e menos custosas do que as tradicionais. Para alguns participantes do mercado, porém, a Bolsa não precisa excluir a regra da reserva, mas só flexibilizá-la para os casos em que as empresas optem pelo modelo de esforço restrito.

Na ocasião, os jornalistas Rodrigo Rocha e Juliana Machado ouviram diversas fontes do mercado, entre elas a ANCORD. “A mudança é prejudicial a esses investidores. Esse requisito surgiu com o intuito de trazer o investidor individual para as companhias listadas no Novo Mercado e no Nível 2”, afirma Renata Saifi, advogada e coordenadora dos comitês setoriais da ANCORD.

Saiba Mais

>> Leia a matéria completa no site do Valor Econômico

>> Leia a matéria “ANCORD defende manutenção de dispersão acionária nos regulamentos do Novo Mercado e Nível 2” no site da ANCORD

NOTÍCIAS RELACIONADAS

CVM propõe mudanças no voto à distância em assembleias de acionistas

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) colocou em audiência pública minuta de instrução que altera a Instrução CVM 481, especificamente o Capítulo III-A, que dispõe sobre participação e votação à distância em assembleias de acionistas. Após a temporada de assembleias de 2017, na qual o voto à distância foi adotado de maneira obrigatória pelas companhias […]

CODIM promove Audiência Pública sobre “Preview”

O CODIM – COMITÊ DE ORIENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES AO MERCADO, formado por ABRAPP – AMEC – ANBIMA – ANCORD – ANEFAC – APIMEC – B3 – CFC – IBGC – IBRACON – IBRI – está promovendo uma Audiência Pública para definir os procedimentos a serem observados pelas companhias, relativamente à “PREVIEW” (documento anexo). Os interessados em fazer sugestões devem […]

Audiência pública propõe fortalecer cuidados de intermediário com segurança da informação

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) colocou em audiência pública minuta de norma que visa aprimorar os controles internos das instituições intermediárias diante de eventos que possam provocar interrupção de suas atividades e falhas na segurança das informações. A minuta prevê a necessidade de desenvolvimento do plano de continuidade de negócios e fortalecimento de mecanismos […]