ANCORD participa de matéria sobre reforma do Novo Mercado

O jornal Valor Econômico publicou recentemente uma matéria abordando a possibilidade do Novo Mercado acabar com a exigência de reserva de 10% das ações para o varejo nas ofertas de papéis realizadas pelas empresas listadas no segmento – isso passaria a ser opcional. Na contramão das intenções da própria BM&FBOVESPA e do setor de atrair o investidor pessoa física para o mercado de capitais, a mudança consta na proposta de reforma do segmento de mais alto grau de governança corporativa da Bolsa.

Esse foi um dos pontos que receberam críticas e sugestões do mercado durante a recente audiência pública realizada pela BM&FBOVESPA.

A intenção da Bolsa com a medida é se adaptar à instrução da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) que permite oferta de ações apenas para investidores qualificados (com ao menos R$ 1 milhão em aplicações) – as chamadas ofertas com esforço restrito, mais rápidas e menos custosas do que as tradicionais. Para alguns participantes do mercado, porém, a Bolsa não precisa excluir a regra da reserva, mas só flexibilizá-la para os casos em que as empresas optem pelo modelo de esforço restrito.

Na ocasião, os jornalistas Rodrigo Rocha e Juliana Machado ouviram diversas fontes do mercado, entre elas a ANCORD. “A mudança é prejudicial a esses investidores. Esse requisito surgiu com o intuito de trazer o investidor individual para as companhias listadas no Novo Mercado e no Nível 2”, afirma Renata Saifi, advogada e coordenadora dos comitês setoriais da ANCORD.

Saiba Mais

>> Leia a matéria completa no site do Valor Econômico

>> Leia a matéria “ANCORD defende manutenção de dispersão acionária nos regulamentos do Novo Mercado e Nível 2” no site da ANCORD

NOTÍCIAS RELACIONADAS

BC publica edital de consulta pública que simplifica regulação prudencial das instituições com perfil de risco menor

O Banco Central (BC) publicou o Edital de Consulta Pública 53/2017 com propostas de normativos que possibilitam às instituições não bancárias e as cooperativas de crédito optarem por regulação mais simples. A norma propõe que as instituições não bancárias e as cooperativas de crédito possam optar pela utilização da metodologia simplificada para apuração do requerimento […]

CVM prorroga prazo da audiência pública DSM 06/2016

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) prorrogou até o dia 6 de dezembro o prazo para recebimento de sugestões e comentários da Audiência Pública SDM 06/2016. A audiência dispõe sobre a oferta pública de distribuição de valores mobiliários de emissão de empreendedores de pequeno porte realizada com dispensa de registro na Autarquia e por meio […]

BC publica edital de consulta pública de segmentação do SFN para fins de aplicação da regulação prudencial

O Banco Central (BC) divulgou, no dia 17 de novembro, edital de consulta pública de resolução que estabelece a segmentação do conjunto das instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo BC para fins de aplicação proporcional da regulação prudencial. As modificações propostas no edital permitirão que as normas prudenciais sejam adequadas ao porte […]