Volume financeiro de “come-cotas” na indústria de fundos em novembro atinge R$ 6,7 bi

A consultoria Economatica fez um levantamento sobre a evolução do Imposto de Renda recolhido dos fundos da indústria do período de maio de 2008 a novembro de 2016. O estudo demonstra que o recolhimento atingiu o maior valor da série no semestre fechado em novembro de 2016, totalizando R$ 6,70 bilhões.

Em termos de gestores com maior desembolso de IR no semestre fechado em novembro, o ItauUnibanco S.A. liderou o ranking, recolhendo R$ 1,63 bilhão, seguido pelo Banco do Brasil com R$ 1,25 bilhão (20,01%) e pela BRAM com R$ 1,12 bilhão (18,02%).

Nos meses de maio e novembro, o governo recolhe antecipadamente parte do IR das aplicações em fundos de investimentos – este recolhimento ocorre através da redução das cotas, sendo esta prática chamada de “come-cotas”.

Saiba Mais

>> Veja a notícia completa no site da Economatica (PDF)

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Renda Fixa: Debêntures, CRIs e CRAs têm alta em dezembro

Os títulos de renda fixa corporativos apresentaram no mês de dezembro números relevantes. O registro desses títulos foi superior ao mesmo período de 2015, segundo levantamento da Cetip, maior depositária de títulos privados de renda fixa da América Latina e a maior câmara de ativos privados do país. O mercado de debêntures foi aquecido por […]

CVM muda norma de Fundos de Investimento Imobiliário

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) editou, no dia 15 de setembro, a Instrução CVM 580, alteradora da Instrução CVM 472, que regulamenta os Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs). O objetivo é incluir como passíveis de aprovação em assembleia atos que caracterizem conflito de interesses entre o FII e o seu consultor especializado. A principal […]