Programa de Regularização de Ativos arrecada R$ 50,9 bi em tributos

O prazo para adesão ao Regime Especial de Regularização Cambial e Tributário (RERCT) foi encerrado no dia 31 de outubro. A medida possibilitou a regularização de ativos no montante de R$ 169,9 bilhões, que corresponderam aos valores de imposto de renda e multa de regularização declarados de R$ 50,9 bilhões.

Quanto aos contribuintes que aderiram ao RERCT, o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, afirmou: “Certamente avaliaram a percepção de risco. Hoje é muito mais fácil para a Receita localizar valores não declarados no exterior.”

Os contribuintes que não aderiram ao RERCT para regularizar seus ativos poderão, para fins exclusivamente tributários, corrigir sua situação:

  • A Pessoa Física deve retificar a Declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física (DIRPF) em relação ao ano-calendário de aquisição da renda ou do ativo e efetuar o pagamento do imposto de renda com base na tabela de incidência do IRPF, acrescido de multa de mora e juros Selic.
  • A Pessoa Jurídica deve registar as receitas ou ativos na respectiva contabilidade e retificar a Escrituração Contábil Digital e a Escrituração Fiscal Digital transmitidas no âmbito do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED), retificar Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF) e pagar os tributos devidos acrescidos de multa de mora e juros Selic.

Saiba Mais

>> Leia a notícia completa no site da Receita

>> Leia notícia relacionada no site do Banco Central

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Indústria de Fundos: volume financeiro alocado em debêntures atinge R$ 74,5 bi

Segundo levantamento da consultoria Economatica, o volume financeiro alocado em debêntures na indústria de fundos totalizou R$ 74,59 bilhões, considerando a última carteira aberta de todos os fundos da indústria. Atualmente o setor aloca seus recursos em 776 debêntures. Deste total, 104 debêntures vencerão em 2017, representando um volume financeiro consolidado de R$ 9,5 bilhões […]