CVM lança proposta para otimizar atividade sancionadora

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) colocou em audiência pública a minuta de Deliberação que estabelece o processo administrativo sancionador (PAS) de rito simplificado. O documento pretende alterar a Deliberação CVM 538 e revogar a Instrução CVM 545. O principal objetivo é otimizar a atividade sancionadora da autarquia.

A minuta propõe simplificar o trâmite processual na apuração de responsabilidades no caso de determinadas infrações que, por seu menor grau de complexidade, não exigem dilação probatória ordinária.

Os PAS de rito simplificado serão julgados em sessão pública, com direito à sustentação oral da defesa pelo acusado ou seu representante legal, não havendo previsão de limites às penalidades que podem ser aplicadas pelo Colegiado.

A nova Deliberação prevê que, em casos de rito simplificado, a superintendência que formular a acusação deverá elaborar relatório específico (após fase de apresentação de defesa) contendo:

  • Resumo da acusação e da defesa
  • Principais ocorrências no andamento do processo
  • Análise sobre os argumentos de defesa e procedência da acusação

Sugestões e comentários sobre a minuta podem ser enviados até 16/6/2017 para o e-mail audpublicaSDM0217@cvm.gov.br.

Saiba Mais

>> Veja a notícia completa no site da CVM

>> Acesse o edital de audiência pública

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Instrução CVM 497: ANCORD participa da Audiência Pública SDM Nº 06/17

Na qualidade de associação que representa as Corretoras e Distribuidoras de Títulos, Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias e os Agentes Autônomos de Investimentos (AAIs), além de ser a entidade certificadora e credenciadora destes profissionais, a ANCORD enviou à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) suas sugestões e comentários com relação aos pontos indicados no Edital de […]

CVM propõe alteração na Instrução 592.

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) colocou em audiência pública em 7/5/2019, minuta de norma que altera pontualmente a Instrução CVM 592, que trata da atividade de consultoria de valores mobiliários, prevendo o reconhecimento, pela Autarquia, de consultores de valores mobiliários, pessoas naturais ou jurídicas, não domiciliados no Brasil. “Assim como a Instrução CVM 521, que trata das agências […]